28 Nov 2020

Atividade “Vamos dar Cartas”

A turma 3 CO4 da EB nº1 de Vila do Conde está a participar num projeto pioneiro denominado “Vamos dar Cartas” que consiste na troca de correspondência entre alunos de várias escolas de Portugal e já envolve cerca de 384 alunos do 3º e 4º anos. Com o intuito de desenvolver a literacia dos seus alunos e motivá-los para a escrita a professora da turma abraçou de imediato esta iniciativa. A participação neste projeto, para além de ir ao encontro do que se preconiza na Flexibilidade e Autonomia Curricular, também pretende desenvolver nos alunos o sentido da escrita mais funcional, dar-lhes a conhecer uma forma de comunicação prestes a cair em desuso, criar laços de amizade a partir da escola e desenvolver os sentidos (real vs digital). Assim, partindo de um dos conteúdos programáticos do português a introduzir no 3º ano, a carta, a ideia de desenvolver a escrita com um parceiro de outra localidade, nesta era tecnológica, é também proporcionar às crianças a oportunidade única de sentirem o prazer de efetuar “trocas reais” e receber uma carta na sua mão.

Tem sido uma experiência gratificante para estes alunos que, desde o primeiro momento, se envolveram afincadamente. Já redigiram com muito empenho e cuidado a primeira carta, onde se apresentaram e falaram um pouco da sua localidade, e elaboraram um postal de Natal que enviaram com muito carinho. Todas as etapas deste projeto, desde a planificação à finalização, têm sido vivenciadas com uma motivação apaixonante. A visita ao posto dos correios para comprar o s

elo e colocar a tão estimada carta no local de envio correto foi também um momento interessante e memorável. Todos eles ansiavam a sua vez! Admirável vê-los explicar à funcionária dos correios que estavam a enviar uma carta ao amigo. Aquelas cartas, naquele momento não eram apenas cartas, eram diamantes, verdadeiras joias!
As respostas não demoraram e a alegria foi total, contudo foi magnífico ver os alunos, diariamente, a lidar com a “espera”, com a “curiosidade do desconhecido”, a “incerteza”…

Para além de todas as competências e capacidades desenvolvidas, os sentimentos e as emoções estiveram bem presentes. O envolvimento tem sido tal, que já se planeiam outras atividades.

Deixe uma resposta